Governo de SP injeta R$ 225 milhões para barrar impacto econômico do coronavírus

13/03/2020 17h52

Governador João Doria institui comissão especial para monitorar geração de emprego e renda durante o período em que a pandemia avança pelo país

O Governador João Doria anunciou nesta sexta-feira (13) a liberação de R$ 225 milhões para impulsionar a economia de São Paulo e impedir impactos negativos do coronavírus na geração de emprego e renda. O dinheiro extra será aplicado em programas de incentivo ao empreendedorismo e à geração de emprego e renda.

“Nós não podemos sucumbir a uma crise do coronavírus sem medidas objetivas e pragmáticas de crescimento e da proteção ao emprego e à economia do maior estado do país, que tem a obrigação de continuar liderando o PIB do país. No ano passado, o crescimento do PIB do Brasil foi de 1,1{566cc9a385eb5c53176b33b2e5256920dc5e2831a279a8f78f8e371482bf4501} e o de São Paulo foi de 2,8{566cc9a385eb5c53176b33b2e5256920dc5e2831a279a8f78f8e371482bf4501}. A contribuição de São Paulo ao PIB do país foi de 60{566cc9a385eb5c53176b33b2e5256920dc5e2831a279a8f78f8e371482bf4501}, portanto é nossa obrigação conduzir a economia corretamente e reagir positivamente. Nós não vamos esperar terminar a crise do coronavírus para reagir”, disse Doria.

A medida foi elaborada comissão de monitoramento dos impactos econômicos do coronavírus em São Paulo. O grupo é formado pelo Vice-Governador Rodrigo Garcia – que também é Secretário de Governo –, os Secretários de Estado Henrique Meirelles (Fazenda e Planejamento) e Patricia Ellen (Desenvolvimento Econômico), o Presidente da Desenvolve SP, Nelson de Souza, e o Presidente da InvestSP, Wilson Mello.

“É uma decisão de prevenção e incentivo às atividades econômicas, no sentido de não serem prejudicadas pelo vírus. Também, são ações pós coronavírus, reforçando o fortalecimento das atividades”, afirmou Meirelles.

A comissão acompanha áreas estratégicas, como crescimento econômico e produtividade; financiamento; trabalho e empreendedorismo; estratégia de abastecimento; e gestão pública e orçamentária. Dos R$ 225 milhões anunciados, a maior parte virá da Desenvolve SP, agente financeiro do Governo do Estado.

Serão R$ 200 milhões em crédito com condições especiais de financiamento para oferecer mais liquidez a empresas paulistas. A Desenvolve SP reduziu a taxa de juros da linha de capital de giro de 1,43{566cc9a385eb5c53176b33b2e5256920dc5e2831a279a8f78f8e371482bf4501} para 1,20{566cc9a385eb5c53176b33b2e5256920dc5e2831a279a8f78f8e371482bf4501} ao mês. O prazo do financiamento subiu de 36 para 42 meses, e a carência foi de três para nove meses.

O crédito para projetos de investimento também passou a contar com prazo maior de carência, que subiu de 24 para 36 meses. Nessa modalidade, o prazo de pagamento é de até 120 meses, e a taxa de juros começa em 0,25{566cc9a385eb5c53176b33b2e5256920dc5e2831a279a8f78f8e371482bf4501} ao mês, acrescida da Selic.

Os financiamentos de capital de giro estão disponíveis para empresas paulistas com faturamento anual entre R$ 81 mil e R$ 90 milhões. Já os projetos de investimento são destinados a empresas com faturamento de R$ 81 mil até R$ 300 milhões ao ano.

Outros R$ 25 milhões serão oferecidos em financiamentos do Banco do Povo, instituição financeira do Governo de São Paulo voltada exclusivamente a micro e pequenos empreendedores.

A linha de microcrédito do Banco do Povo, que já é competitiva, terá agora redução da taxa de juros de 1{566cc9a385eb5c53176b33b2e5256920dc5e2831a279a8f78f8e371482bf4501} para 0,35{566cc9a385eb5c53176b33b2e5256920dc5e2831a279a8f78f8e371482bf4501} ao mês. O prazo para pagamento passou de 24 para 36 meses, já incluindo o prazo de carência, que aumentou de 60 para 90 dias. Pedidos de concessão de crédito sem avalista passam de R$ 1 mil para R$ 3 mil.

“As novas medidas criam condições mais favoráveis. É uma oferta excepcional para o micro, pequeno e médio empreendedor que não acha esse tipo de condições, evidentemente, no centro financeiro”, comentou Meirelles.

O Banco do Povo financia micros e pequenos negócios formais (MEIs, MEs, LTDAs e EIRELIs) e também microempreendedores urbanos e rurais, inclusive os do setor informal. As linhas de crédito vão de R$ 200 até R$ 20 mil.

“O atendimento vai ser priorizado para os municípios que hoje têm casos do coronavírus e o atendimento na capital, que é hoje a cidade que mais concentra o número de casos”, explicou a Secretária de Desenvolvimento Economico, Patricia Ellen sobre as medidas que passam a valer a partir de hoje.

O atendimento na capital será realizado nas unidades do Centro (Rua Boa Vista, 170) e de Paraisopólis (Rua Ernest Renan, 1366). Nos demais municípios, os interessados devem se informar nas agências conveniadas ou no site www.bpp.sp.gov.br/bancodopovo.

Assessoria de Imprensa
Secretaria Especial de Comunicação

Curso de Direito recebe alunos dos ensinos Fundamental e Médio de escola estadual de Lucélia

17/05/2024 16h46 Aproximadamente 60 alunos participaram da ação Por Jéssica Nakadaira Na manhã do último dia 10, sexta-feira, o curso de Direito do Centro Universitário

Prazo para negociar contas de luz em atraso termina nesta segunda-feira, 20

17/05/2024 16h42 Programa Desenrola Brasil, do governo federal, está oferecendo descontos de até 75% e condições de parcelamento sem entrada, em até 60 vezes   Termina

Seguro obrigatório voltará a ser pago em 2025

17/05/2024 16h39 Nova taxa prevê pagamento de serviços médicos a vítimas de acidentes Publicado em 17/05/2024 – 14:44 Por Fabíola Sinimbú – Repórter da Agência

00:00