Apae de Adamantina completa 50 anos e apresenta programação do Jubileu de Ouro

22/02/2024 16h59

Fundada em 28 de fevereiro de 1974, a APAE de Adamantina completa neste mês 50 anos de presença e serviços prestados à cidade e região. Atualmente,  atende cerca de 200 pessoas que precisam de especial cuidado, amor e profissionalismo realizados por uma equipe multidisciplinar que se entrega diariamente ao papel de promover qualidade de vida individual e dos familiares dos assistidos, pelos atendimentos realizados em educação especial, de saúde e da área socioassistencial.

Para celebrar seu primeiro cinquentenário a APAE de Adamantina promove uma programação especial que se inicia na última semana de fevereiro.

Na segunda-feira (26) será realizada uma carreata pelas principais vias da cidade. Um bolo simbólico vai à frente do comboio, que seguirá com um grupo de assistidos no Trenzinho da Alegria. A carreata será acompanhada ainda por seus colaboradores, diretoria, voluntários e apoiadores da causa. A saída será às 9h, com concentração em frente à sua sede.

Outra atividade celebrativa ocorre no dia 29 de fevereiro (quinta-feira), no anfiteatro da Biblioteca Municipal de Adamantina. A programação tem início às 19h, com apresentação artística, falas institucionais e do serviço prestado pela organização social e sessão de homenagens. O público é convidado a participar.

Estrutura, serviços e financiamento
A estrutura de atendimento da APAE de Adamantina está distribuída em dois núcleos. Um deles em sua sede, na Rua Tsunekishi Sakai, 136, na Vila Joaquina – onde estão seu setor administrativo, salas de aula, oficinas terapêuticas e o ambulatório. O outro núcleo de atendimento é a APAE Rural, onde estão o Centro de Equoterapia e o Projeto Terapêutico Vida Nova.

Nesses espaços, de segunda a sexta, interagem os cerca de 200 assistidos pela instituição, e muitos deles acessam mais de um serviço a cada dia, já que passam por atividades escolares, oficinas terapêuticas, atividades de reabilitação e outros atendimentos, além de receberem as refeições em cada turno.

Mais recentemente a APAE passou a gerir na cidade uma Residência Inclusiva Regional, onde coparticipam os municípios de Adamantina, Flórida Paulista, Mariápolis, Osvaldo Cruz e Dracena, em pactuação com a Diretoria Regional de Assistência e Desenvolvimento Social (Drads) de Dracena. O espaço foi inaugurado em junho do ano passado.

A Residência Inclusiva é uma modalidade de acolhimento exclusiva para pessoas com deficiência no âmbito da assistência social. Se destina a jovens e adultos com deficiência, em situação de dependência, que não disponham de condições de autossustentabilidade ou de retaguarda familiar.

Além dos múltiplos atendimentos a APAE é também um empregador social. Sua operação remunera 59 trabalhadores que compõem uma equipe multidisciplinar em diferentes áreas, habilidades e aptidões, cada um desempenhando seu papel de forma individualizada, porém integrada, dentro de uma dinâmica ativa, desafiadora, engajada e humanizada.

Entre os profissionais desta equipe estão psicólogos, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicopedagogos, médicos neurologista, pediatra e psiquiatra, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, professores especialistas, e ainda colaboradores nas áreas de transporte, cozinha, administração, zeladoria e outras áreas.

O custeio e funcionamento de todos esses programas e serviços ocorre por meio de repasses de verbas oficiais (subvenções) das áreas da saúde, educação e assistência social (em âmbitos municipal, estadual e federal), especialmente dirigidas a cada um dos serviços. A instituição também faz captação para custeio por meio das contribuições dos associados, ações promocionais, campanhas comunitárias, a colaboração eclesial, Imposto de Renda do Bem, Nota Fiscal Paulista e o tradicional leilão de gado anual.

Educação especial para quase 80 alunos

O atendimento educacional foi o embrião que inspirou o desafio de fundar a APAE, cinquenta anos atrás. Na área da educação especial, em sua sede, a instituição acolhe alunos especiais das cidades de Adamantina, Lucélia, Flórida Paulista, Mariápolis, Pacaembu e Salmourão. São 76 alunos matriculados.

No ensino fundamental das séries iniciais atende crianças e adolescentes dos 6 aos 15 anos. Já na faixa dos 15 aos 30 anos as atividades escolares são desenvolvidas dentro de um programa socioeducacional.

Nas duas condições, as atividades escolares seguem os parâmetros nacionais que norteiam a educação para esse público, com currículo funcional adaptado, de acordo com suas necessidades e especificidades.

Oficinas terapêuticas e trabalhos manuais

Também na sede são realizadas as oficinas terapêuticas, de trabalhos manuais, onde os alunos, sob supervisão, atuam diretamente na produção de peças de artesanato, como tapetes, guardanapos e outras variações. As peças produzidas são comercializadas e a renda reinvestida na instituição.

Ambulatório de Reabilitação Global

O Ambulatório de Reabilitação Global da APAE é um espaço de saúde, também com serviços prestados à microrregião de Adamantina. Profissionais de diferentes habilidades interagem no atendimento a crianças, com intervenção precoce no público de zero a seis anos, e atividades de reabilitação para as demais idades.

No espaço está instalada a estrutura do programa de fisioterapia intensiva do método Pediasuit, desenvolvido para ajudar crianças com distúrbios neuromotores a melhorar sua funcionalidade física e qualidade de vida. Durante as sessões, a criança participa de uma variedade de exercícios e atividades projetados para melhorar o controle motor, força muscular, equilíbrio e coordenação.

O dispositivo do método Pediasuit foi doado à APAE pelo Rotary Club de Adamantina.

APAE Rural: projeto terapêutico e equoterapia

Na APAE Rural, localizada na estrada que dá aceso ao bairro Lambari, em Adamantina, estão instalados dois serviços que complementam o conjunto de atendimentos realizados pela instituição. A área rural recebeu o nome de “Teresa Cristina Romanini Figueiredo – Tina”.

Uma das estruturas no local é o Projeto Terapêutico “Vida Nova”, cuja finalidade é o atendimento de pessoas com transtorno global do desenvolvimento e ou comorbidades associados a deficiência intelectual grave e ou deficiência intelectual crônico e psiquiátrica. Nesse espaço são atendidos participantes com idade de 15 a 55 anos. O espaço foi batizado de “Núcleo Professor Diniz Parússolo Martins”.

Na mesma área rural também funciona o Centro de Equoterapia da APAE de Adamantina, uma forma de terapia assistida por cavalos que oferece uma série de benefícios aos participantes, entre os quais a melhoria do tônus muscular, aprimoramento do equilíbrio e coordenação, promoção da estimulação sensorial, aumento da motivação e engajamento, promove o estímulo cognitivo, melhora postura e alinhamento corporal, como também atua no desenvolvimento emocional e social e na redução do estresse e ansiedade.

Saiba mais e principais datas

A APAE de Adamantina foi fundada em 28 de fevereiro de 1974 por Nelly Junqueira de Freitas com a ajuda de seu marido João Andrade Rodrigues de Freitas (in memoriam), contando ainda com um grupo de pessoas interessadas às causas da pessoa com deficiência, já nos moldes das APAEs existentes no país. Idealista, Nelly havia fundado pouco antes, em 16 de dezembro de 1973, a Rede de Combate ao Câncer em Adamantina.

A APAE local é uma entidade civil, filantrópica, de caráter assistencial e educacional sem fins lucrativos. Está integrada por filiação à Federação Nacional e Estadual das APAES, das quais recebe orientação e apoio. Sua gestão é regida por um estatuto social, ficando a cargo de uma diretoria executiva e seus conselhos de administração e fiscal, de forma voluntária e sem remuneração. A atual diretoria executiva (mandato 01/01/2023 a 31/12/2025) é presidida por Carlos Roberto Bocchi Pereira.

Veja os principais marcos ao longo de sua trajetória de meio século em Adamantina:

  • Em 11 de junho de 1981 a instituição conseguiu sua sede própria onde se encontra até hoje. O espaço já passou por várias reformas e adaptações em razão das novas demandas e a ampliação dos atendimentos. E não parou de crescer.
  • Em 31 de julho de 1982 a Escola Especial da APAE teve sua autorização publicada em diário oficial.
  • Em março de 1994 foi inaugurada a primeira sede do ambulatório de reabilitação conveniado ao SUS, com equipe multiprofissional.
  • Em maio de 2003 efetivou-se a compra da unidade rural da instituição.
  • Em 2009 foi adquirido um terreno ao lado da atual sede onde foi construído um ambulatório de reabilitação para melhorar o atendimento à população.
  • Em 2011 foi construída na área rural o Centro de Equoterapia e depois imóvel que abriga o Projeto Terapêutico “Vida Nova”.
  • Em 2020 realiza investimentos de prevenção e combate a incêndio em sua sede e obtém o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB).
  • Em 2020 implanta estrutura de energia fotovoltaica e atualmente produz toda a energia elétrica que consome em suas dependências.
  • Em 2023 passou a gerir a Residência Inclusiva Regional, inaugurada em junho do ano passado, serviço cofinanciado pelos municípios e demais entes participantes.
  • Em 2023 promoveu a instalação de aparelhos de ar condicionado em todas as salas de atendimento, salas de aula e espaços terapêuticos em sua sede.
  • Em 2023 adquiriu um novo imóvel, vizinho de sua sede, que permitirá ampliar as instalações, espaços e serviços.
  • Também em 2023 recebeu por doação do Lions Clube de Adamantina o imóvel que foi sua sede, nas proximidades do Recinto Poliesportivo. Com o encerramento do Lions, a APAE foi contemplada com a doação do imóvel.

Em implantação

Atualmente há dois projetos em implantação na APAE de Adamantina:

  • O complexo de atendimento aos seus assistidos irá ganhar uma sala multissensorial, possibilitando uma maior inclusão às pessoas com problemas neurodivergentes. O espaço receberá mobiliário cuidadosamente projetado, em ambiente com cores e iluminação especial.
  • Introdução do Conceito Bobath, metodologia centrada no paciente e adaptada às necessidades individuais. O tratamento teve origem na Inglaterra em 1943 é um processo de resolução de problemas, tanto pelo paciente como pelo terapeuta, para avaliar e tratar de indivíduos com distúrbios de função, movimento e tônus devido a lesão ou alteração do funcionamento do sistema nervoso central. O objetivo é atingir a função com a máxima qualidade considerando os limites do indivíduo e o seu ambiente.

Projetos futuros

Com a dinâmica diária bastante ativa, e mesmo considerando dois projetos em fase de implantação, a APAE de Adamantina lança também outros dois desafios futuros, a serem implantados na APAE Rural:  uma piscina terapêutica, para complementar os atendimentos, e a ampliação das oficinas terapêuticas existentes no local, dentro do Projeto Vida Nova.

Serviço

APAE de Adamantina
Rua Tsunekishi Sakai, 136
Vila Joaquina – Adamantina – SP
(18) 3521-3340

[email protected]

www.facebook.com/apaeadt

www.instagram.com/apaeadamantina

www.apaeadamantina.org.br

 

Atendimento à imprensa
Acácio Rocha (jornalista)

Centro Universitário de Adamantina sedia I Fórum sobre Formação em Psicologia do CRP

12/04/2024  17h19 Evento ocorre na manhã desta sexta-feira, 12, no auditório Miguel Reale, Câmpus II  Por Priscila Caldeira O Centro Universitário de Adamantina irá sediar

Adamantina participa do lançamento do Circuito Sesc de Artes

12/04/2024 17h16 Sérgio Vanderlei da Silva, secretário de Cultura e Turismo, participa da solenidade representando o município Nesta sexta-feira (12), a partir das 11h, por

Currículo funcional desenvolvido na rede municipal de ensino de Adamantina ensina alunos da educação especial a desenvolverem autonomia

12/04/2024 17h13 Atualmente, são atendidas 65 crianças autistas e mais 35 que possuem algum tipo de deficiência A Prefeitura de Adamantina, por meio da Secretaria

00:00